segunda-feira, 20 de agosto de 2012

À Primeira Vista - Luanne Rice



Às vezes, para que dois corações voltem a se unir
é necessário o trabalho de um anjo.

À Primeira Vista nos conta a história de amor da planejadora de casamentos, May Taylor, e o jogador de hóquei, Martin Cartier. Os dois se encontram pela primeira vez num vôo, quando May ia levar sua filha Kylie para passar por uma série de testes. Kylie é uma criança mais especial que as demais. Ela consegue ver anjos e prever o que irá acontecer através dos sonhos. Desde muito pequena, May a levava a especialistas para tentar entender melhor a causa das visões de Kylie. E durante essa viagem Kylie consegue ver ao lado de um grande e lindo jogador de hóquei, uma menina, um anjo.
Martin era então um famoso jogador de hóquei e que trazia consigo as dores de um passado que não o permitia ser totalmente feliz. A menina (anjo) que Kylie via ao seu lado era Natalie, a falecida filha de Martin. Kylie entendeu que a partir daquele momento sua missão junto à Natalie era ajudar Martin a se libertar do sofrimento pela perda da filha e da fúria que sentia do próprio pai, quem Martin julgava culpado pela morte de Natalie. Na viajem ocorre um problema que culmina com uma aterrissagem forçada. Martin, que já havia tido contato com a filha de May, a carrega no colo junto com a mãe. É então que os olhares de May e Martin se cruzam mais profundamente, e os dois se apaixonam, mesmo que a princípio não saibam.
 May tinha ainda receio de sofrer novamente. Mas, depois da insistência de Martin, e da forcinha da sua melhor amiga, ela não consegue resistir e se entrega a esse amor. Ela sabia que Martin resistia falar de seu passado, de Natalie e principalmente de seu pai, Serge Cartier, um dos maiores jogadores do hóquei e que estava preso por causa de dívidas de jogo. E esse fato parecia ser um único que não permitia Martin se entregar completamente. Os dois se casam na casa do lago, onde Martin passou a infância e viveu com Natalie. Desde então a história e passa entre Martin conseguir ou não perdoar o pai, com a ajuda de Natalie, Kylie, e May, e de que seu time consiga ganhar a taça Stalin, semelhante a importância da copa do mundo para o futebol. 
Eu gostei da história, é bem escrita e tem um final muito bonito, e até certo ponto previsível. Mas, não foi daqueles romances que suspirei do início ao fim. Não sei dizer se foi o momento de espírito que estava quando fiz a leitura, mas talvez não fiquei tão envolvida, ou me emocionada tanto com a leitura quanto esperava ao ler o título e um pouquinho da história. Fui ficando mais empolgada com a leitura depois que algo ocorre com a saúde de Martin e ele tem que parar de jogar hóquei. Nesse momento há uma incerteza sobre se ele irá ou não continuar com May e reencontrar-se com o pai. Mas, ao todo é um bom romance como já falei, e por isso sugiro de leiam, torçam por Martin e se envolvam num romance singelo, sensível e envolto a superstições e magia.

Apreciação: 3
[Sendo que: 1 – Ruim; 2-Regular; 3-Bom; 4-Muito Bom; 5-Adorei]
Dados técnicos:
Editora: Reader’s Digest – Seleções de Livros
Título original: Summer Light (Publicado nos EUA por Bantam Books)
Tradução: Alda Porto
Páginas: 153-286

Talvez você goste de ler também:

5 comentários:

  1. Parece interessante, nunca tinha ouvido falar do livro antes! Obrigada pela dica =)

    ResponderExcluir
  2. Olá Babi,
    Esses livros das seleções são meios desconhecidos no geral, a não ser quando publicados em formato único. Legal que gostou, é um bom romance para descansar. Obrigada pela visita! Beijos :)

    ResponderExcluir
  3. Ainda não conhecia esse livro. Isso de crianças verem anjos é algo que me chama muito a atenção. Ela tornam-se puras e verdadeiras, né?! Muito fofo mesmo. ^^
    Sua resenha me deixou bem curiosa para ler o livro, vou procurar um pouco mais sobre ele!
    Gostei do seu blog também! :)

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  4. Mesmo o livro não sendo perfeito, fiquei curioso para lê-lo!
    Adoro essas histórias retrô!

    Um beijo,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom Vinícius. É uma bonita história, eu que acho que não estava tão na sintonia dela entende?! Se ler, volta para me contar suas impressões, ok?

      Beijo!

      Excluir

Vamos trocar ideias?