terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

O Diário de Bridget Jones - Helen Fielding


Entre ganhos e perdas de peso, dificuldades em realizar tudo o que promete a si mesma, e uma série de confusões, o leitor adentra no universo de Bridget Jones a partir dos registros que ela faz em seu diário pessoal.
Bridget Jones iria fazer 30 anos, trabalhava numa editora pequena e mantinha uma paixão secreta (nem tanto) por seu chefe Daniel Cleaver e... Há bastante tampo, uma solteirona. A principal preocupação de Jones durante todo o desenvolvimento da história é em arrumar um namorado, e como isso não acontece ela fica angustiada e com receio de acabar a vida sem ter alguém (morrendo sozinha num apartamento por uma mordida de pastor alemão) e sem construir sua própria família.
A mãe e os tios de Bridget também ansiavam que ela arrumasse alguém, e a pressão era alta e constante nas reuniões familiares. Na festa de final de ano eles armaram para apresentar Bridget à Mark Darcy, um dos maiores advogados de Londres. Mas nem um de cara demonstrou estar feliz com a situação. Bridget o achou bobo pela roupa que usava, e Darcy pensou realmente o mesmo.
È então que Daniel Cleaver começa a dar a entender que estava gostando de Bridget, e nossa mocinha moderna logo ela fica entusiasmada. E depois de algumas saídas e mal entendidos quanto a real situação entre os dois, eles enfim assumem um namoro. Porém, quando as coisas começavam a entrar no plano de felicidade que Bridget desejava (se resumido a passeios e atividades com o namorado), sofre uma grande e frustrada decepção.
E mais uma vez Bridget volta a ficar depressiva e a achar que tudo de ruim só acontece com ela. Nesse momento, com a ajuda da doidinha de sua mãe, Jones arruma um novo emprego na televisão. De um jeito meio torto e inesperado, talvez por essa mudança inicial as coisas começam a melhorar na vida de Bridget de verdade. Mark Darcy resurge na trama trazendo um novo fôlego à leitura e extraindo um novo conceito a seu respeito. Desses novos encontros com Darcy, Bridget começa a perceber que nem sempre as primeiras impressões definem alguém.
Já fazia um bom tempo que queria ler esse livro, e aproveitei o desafio literário para saciar a vontade, e para quem gosta de leituras leves, engraçadas e despretensiosas, muito recomendo. Além de uma leitura muito divertida, no final te faz ficar estranhamente feliz tanto por Jones quando pelas horas passadas lendo o livro.
Talvez o único ponto negativo da história seja justamente o ponto central dela (risos), que é o fato de Bridget resumir sua felicidade à procura de um namorado. Mas mesmo assim, sendo tão comum, gostei muito da leitura – que prendeu minha atenção do começo ao fim (principalmente quando Mark Darcy entra na história com maior destaque) – me fazendo rir e fugir um pouco da seriedade dos dias.



Dados técnicos do livro:
Título original: Bridget Jones’s Diary
Tradutor: Beatriz Horta
Editora: Record
Páginas 319

*Segunda resenha escrita para o DL2013. Minha lista para o Desafio aqui.

8 comentários:

  1. to querendo muito ler este livro também. adoro o filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Debora, o filme deve ser bem divertido, ainda vou assisti-lo. Quando ler o livro passe aqui para contar o que achou.
      Obrigada pela visitinha no blog.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi! Eu já li este livro e acabei de emprestei ontem mesmo para uma amiga! Gostei de sua resenha! É um livro divertido e de leitura fácil! Já vi o filme tb.

    Abraço!

    Andrea.

    http://caixinhadadea.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Andrea. Esse livro é mesmo garantia de boas risadas. Ainda vou ver o filme e espero que seja bem legal também.

      Obrigada também pela visitinha!

      Beijos!

      Excluir
  3. Oiee achei seu blog na lista de parceiros da editora autenticaa..tbm sou parceira deles agora rs..e gostei mt daqui..então to seguindo
    visita o meu e se gostar segue?
    beijocas
    http://cantinhodanina19.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Eu nunca li o livro mas o filme é bem divertido *-*
    E o nome do Darcy me lembra Mr Darcy de Orgulho e Preconceito ... e no filme se não me engano ele é representado pelo Colli Firth que interpretou o Mr. Darcy da Jane Austen em uma série de 1995 :P

    Boa resenha, vou ver se adiciono o livro a lista de quero ler.

    www.moniitorando.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Iza!
    Que saudades, o blog está lindo!

    Eu li há mto tempo e já me esqueci de mta coisa. Mas acho que não gostei mto. Acho que já passou da hora de reler para renovar minhas impressões sobre a história. Tdo mundo gosta tanto, talvez na releitura eu goste um pouco mais tb.

    BjoO
    Pri
    Entre Fatos e livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainn obrigada Pri!!! Também estava com saudades, andei um tempo sumido do mundinho blogueiro e agora espero continuar com o trabalho aqui no blog. Eu gostei do livro, é engraçado e legal de ler, mas também não é daqueles que entram para a lista dos adorados. Ainda tenho que assistir o filme.

      Beijos!!

      Excluir

Vamos trocar ideias?