segunda-feira, 21 de outubro de 2013

O Grande Gatsby, F. Scott Fitzgerald

Publicado pela primeira vez em 1925, O Grande Gatsby foi escrito pelo autor americano Scott Fitzgerald (1896-1940). A história é narrada por Nick, um jovem que acabara de deixar a casa dos pais para tentar fazer a vida longe da influencia prestigiada do renome da família. Nick compra uma modesta casa no leste da cidade e torna-se vizinho da elegante mansão de Gatsby. Em pouco tempo perceberá constante agitação na casa vizinha oriunda das grandes festas que lá acontecem, com a presença de inúmeras pessoas, vindas de toda parte, mas sem nenhum motivo aparente. Ninguém sabia nada a respeito do passado ou presente de Gatsby, simplesmente compareciam em suas festas, divertiam-se e iam embora a espera da próxima.
Gatsby, o misterioso milionário, aproxima-se de Nick por causa da sua prima Dayse. Ela e Gatsby tiveram um relacionamento no passado, mas foram separados com a partida dele para guerra. Mas Gatsby nunca esqueceu Dayse, e pretendia trazê-la de volta assim que fosse possível. Por isso tornara-se um milionário, pois sabia que somente assim poderia se aproximar e impressionar Dayse novamente. Quando enfim alcança este objetivo, compra a casa ao lado da casa de Nick e de frente para a casa em que Dayse morava. Não sozinha, pois não esperou por Gatsby e se casara com o rico Tom, e viviam bem no seu pequeno mundo de luxo. As grandes festas que Gatsby oferecia em sua casa eram justamente para que Dayse tomasse conhecimento de havia voltado e estava numa posição muito superior a que o conhecera. Quando os dois se reencontram, começam a ter um caso até que as lembranças do passado emergem numa tarde de outono os sentimentos e razões de suas ações são postas em cheque rumo a um fim trágico.
A personagem de Gatsby permanece sendo um mistério até o final do livro. Ninguém sabe como se tornou um milionário, apesar das pistas de que não foi por meios lícitos. A única coisa que sabemos é da sua esperança em reatar com Dayse (que esta longe de ser a mocinha amada da historio) a partir da exibição de seu império, e do sentimento de dizia sentir por ela. E eis a graça e maldição de sua vida. Nick se mostra talvez o grande personagem da história. É ele quem consegue perceber as futilidades do mundo de Gatsby e Dayse, e os sentimentos que impulsionam os dois a agirem como agem. Nick  na verdade é um observador privilegiado de tudo que acontece e também do que não deveria ser percebido, e consegue criticar estas situações sem que um julgamento explícito acompanhe seu pensamento. Composto por diálogos inteligentes e críticos, o grande fascínio do livro de Fitzgerald é o mistério que paira no ar e não conclusão de tudo. Terminamos o livro com muitas questões, com revolta de algumas personagens e, contudo, nos rendendo as graças de toda essa contradição que compõe romance.

Eu não exigiria demais dela”, arrisquei. “Não se pode repetir o passado.”
“Não se pode repetir o passado?”, gritou, incrédulo.
“Ora, mas é claro que se pode!”
Olhou ao redor arrebatado, como se o passo estivesse à espreita
nas sombras de sua casa, quase ao alcance de sua mão.
“Vou acertar tudo exatamente como era antes”, disse, acenando
com a cabeça decidido. “Ela vai ver. (p. 129).
Notas do Exemplar:
Editora: BestBolso
Tradução: Roberto Muggiatti

Páginas: 249.

4 comentários:

  1. Oi, Izabela!

    Eu gosto muito dessa história, justamente pelo mistério do personagem Gatsby. As questões que ficam em aberto são muito importantes para a obra. Talvez se tudo tivesse uma resposta clara e simples o livro não seria um clássico. Adorei sua resenha!

    Obrigada por linkar o Livro&Café aqui ;)

    Bjos

    Francine Ramos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Francine, e é verdade o que disse, o mistério do livro que envolve o leitor.

      Beijos!

      Excluir
  2. isso de se revoltar com alguns personagens e muito normal,kkk beijos amei o blog
    já estou seguindo :)
    livro-azul.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Vamos trocar ideias?